LEI DA RELATIVIDADE

Nada é tão fácil quanto parece, nem tão difícil quanto a explicação do manual.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Na Hora do Clarão...













































Ana Raio e Zé Trovão diz a sabedoria
Tudo o que acontece hoje aconteceu um dia
Se esse mundo é o nosso pai o tempo é a magia
Que nos mostra a direção sem medo nem poesia
Viver é a nossa alegria, seguir é a nossa missão
E tudo se resume estar aqui um dia
Noutro dia não
Ana Raio e Zé Trovão
Ana Raio e Zé Trovão mulher e valentia
Um conhece a direção a outra a estrela guia
Um caminha pela luz a outra se alumia
São as cores do destino que os diferencia
Um dia, é um dia, é um dia
Que nasce do seu coração
E tudo se resolve na hora da aurora
Hora do clarão
Ana Raio e Zé Trovão
Ana Raio e Zé Trovão quem disse que sabia
Onde andará o vento quando é calmaria
Quem decide esta questão quem é que avalia
A nascente da canção, a mágica do dia
Pensar só nos traz alegria
Saber já é outra questão
Somente quando sonha o homem vai ao céu
E o resto é pelo chão




 


quarta-feira, 26 de outubro de 2011

... ... Ipê... ... ^^


horta crescendo: sementeiras...

 Teremos na horta: 
Tomatinho,  pimentão, rúcula, 
jiló, berinjela, alface "baba de verão" (hahaha), tomate "marmande",
uns tagetes para espantar alguns insetos 
e almeirão (que tá custoso de "vingá")...


Não vejo a hora de transplantar!!!! 
=}


 o início...
 




o meio...

Chega logo, final!!!

=/

1ª Colheita de brócolis :)




sábado, 20 de agosto de 2011

http://eusou800.blogspot.com/



Há flores em tudo que eu vejo...










Hortinha

áio brotano

Vista panorâmica

Ar face e levante (ahahah - Hortelã)

Lindaaa!!!          ;}
                  

domingo, 12 de junho de 2011

a palavra pessoa hoje não soa bem...

O que é que pode fazer o homem comum
neste presente instante senão sangrar?
Tentar inaugurar a vida comovida,
inteiramente livre e triunfante?
O que é que eu posso fazer com a minha
juventude - quando a máxima saúde hoje
é pretender usar a voz?
O que é que eu posso fazer - um simples
cantador das coisas do porão? (Deus fez
os cães da rua pra morder vocês que sob a
luz da lua, os tratam como gente - é
claro! - a pontapés.)
Era uma vez um homem e seu tempo...
(Botas de sangue nas roupas de Lorca).
Olho de frente a cara do presente e sei
que vou ouvir a mesma história porca.
Não há motivo para festa: ora esta! Eu
não sei rir a toa!
Fique você com a mente positiva que eu
quero a voz ativa (ela é que é uma boa!)
pois sou uma pessoa.
Esta é minha canoa: eu nela embarco.
Eu sou pessoa!
(A palavra "pessoa" hoje não soa bem -
pouco me importa!)
Não! Você não me impediu de ser feliz!
Nunca jamais bateu a porta em meu nariz!
Ninguém é gente!
Nordeste é uma ficção! Nordeste nunca
houve!
Não! Eu não sou do lugar dos esquecidos!
Não sou da nação dos condenados!
Não sou do sertão dos ofendidos!
Você sabe bem:
Conheço o meu lugar!

terça-feira, 7 de junho de 2011

Por que não?

Se a pele pede pele, então por que não dar?
por medo de se apaixonar?
a pele não dá pra negar,
não se colhe se não regar

alguma coisa pra dizer, por que não diz?
por medo de ficar feliz?
se me quer por que não vem?
se não tem meu corpo em mais ninguém
o amor é vão
o tempo é são
nós então
talvez, por que não?
não dá mais pra se arrepender
depois de se entregar e me fazer feliz
da vida não dá pra fugir
até quando vai resistir?
se você quer me enlouquecer, por que razão?
perversidade ou diversão?
por que tem que sempre não ter solução?
me diz por que não?
o amor é vão
para todo mundo
para nós então,
por que não vem?
 
 
Lô Borges

Cair em si

Não ter você, cair em si,
Morrer de amor não é o fim mas me acaba...

segunda-feira, 6 de junho de 2011

:'(

“Um amor platônico muitas vezes significa que uma pessoa está desperdiçando a chance de amar, e a outra, desperdiçando a chance de ser amada.”

domingo, 5 de junho de 2011

Timidez

Toda vez que te olho
Crio um romance
Te persigo, mudo
todos instantes
Falo pouco pois não
sou de dar indiretas
Me arrependo do que digo
em frases incertas
Se eu tento ser direto, o medo me ataca
sem poder nada fazer
Sei que tento me vencer e acabar com a mudez
Quando eu chego perto, tudo esqueço
e não tenho vez
Me consolo, foi errado o momento, talvez
Mas na verdade, nada esconde essa minha timidez
Eu carrego comigo a grande agonia
De pensar em você, toda hora do dia
Eu carrego comigo, a grande agonia
Na verdade nada esconde essa minha timidez
Na verdade nada esconde essa minha timidez
Talvez escreva um poema
No qual grite o seu nome
Nem sei se vale a pena
Talvez só telefone
Eu me ensaio, mas nada sai
O seu rosto me distrai
E, como um raio,
eu encubro , eu disfarço
eu camuflo, eu desfaço
Eu respiro bem fundo
Hoje digo pro mundo
Mudei rosto e imagem
Mas você me sorriu
Lá se foi minha coragem
Você me inibiu



sábado, 4 de junho de 2011

Vem andar comigo, numa beira de estrada...

canção...

Canção do amor que chegou

Eu não sei, não sei dizer

Mas de repente essa alegria em mim
Alegria de viver
Que alegria de viver
E de ver tanta luz, tanto azul!
 
Quem jamais poderia supor
Que de um mundo que era tão triste e sem cor
Brotaria essa flor inocente
Chegaria esse amor de repente
E o que era somente um vazio sem fim
Se encheria de cores assim


Coração, põe-te a cantar

  o amor chegou ...
Chegou enfim


(in Poesia completa e prosa: "Cancioneiro)




"Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova quando
chamado de amigo. Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de
grandes chuvas e das recordações da infância.
Preciso de um amigo para não enlouquecer, para contar o que vi de belo e triste
durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade.
Deve gostar de ruas desertas, de poças d´água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim. Preciso de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já tenho um amigo.
Preciso de um amigo para parar de chorar. Para não viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas.
Que bata nos ombros sorrindo e chorando, mas que me chame de amigo, para que eu tenha a consciência de que ainda vivo"



Vinícius de Moraes (?)

Sob Medida

Eu, Macunaíma

***AI, QUE PREGUIIIIÇA!!!!

Escreve, que eu te leio!!

Reclamações, sugestões, críticas, xingamentos, elogios? Escreve, que eu te leio, filho(a)! e-mail